Oleo coco Copra sem Sabor de 200ml

Oleo coco Copra sem Sabor de 200ml
  • Fabricante: COPRA
  • Peso: 1 kg
Oferta especial
Produto nº: AD712
Preço (sem impostos): R$15,50
Preço (incluindo impostos): R$15,50
Disponibilidade: No estoque
Calcule o Frete:

Oleo de Coco Sem Sabor Copra - 200ml –

 O Melhor para Cozinhar

Porque  Usar o óleo de Coco:

A humanidade evoluiu durante milhares de anos consumindo alimentos naturais encontrados na natureza. À medida que conseguiu dominar a agricultura e conservar certos alimentos os utilizou de forma inteligente e, por múltiplas tentativas, selecionou o que era nutritivo e saudável, evitando alimentos que pudessem trazer algum mal à sua saúde.

Assim alimentos NATURAIS, como leite integral, manteiga, ovos, carnes de caça e pesca, animais criados em sítios e fazendas e, todas as gorduras encontradas na natureza, serviram para nutrir e preservar saudável a raça humana até os anos de 1900.

E por que até 1900? Pois a partir do começo do século XX, sobretudo o dito mundo ocidental, começou a substituir as gorduras naturais, por gorduras vegetais refinadas e as nefastas margarinas. Aliado a isto, o consumo de açúcar, principalmente o refinado se generalizou, foram criadas as primeiras máquinas de processar cigarros, os primeiros automóveis e, a vida se tornou mais fácil!

Alguns anos mais tarde, vários produtos químicos foram utilizados na produção de alimentos (agrotóxicos), conservantes químicos foram adicionados aos alimentos processados. Finalmente a exploração e consumo desenfreado de petróleo e seus derivados, transformou nosso planeta: “Num Admirável Mundo Tóxico”!

Éramos felizes e não sabíamos!

No que se refere especificamente ao coco, documentos registram que há aproximadamente 4000 anos, a humanidade já utilizava dos seus frutos, não somente como alimento, mas, sobretudo com finalidades cosméticas e farmacológicas. Do coco, tudo era aproveitado, desde a polpa, água, o leite de coco e, até mesmo seu óleo. Já, suas folhas, cascas e o próprio tronco eram utilizados em construções, artesanato e combustível. Daí sua palma ser conhecida como:

“A Árvore da Vida”

Por isso esqueça tudo o que você já ouviu ou leu de ruim sobre gorduras saturadas, dentre elas: “Gordura de COCO!

Há mais de 60 anos, as gorduras mais consumidas eram provenientes dos animais, destacando-se dentre elas, a gordura de porco.

Já as provenientes do reino vegetal, a campioníssima era a gordura de coco.

Na década de 1940, o Departamento de Agricultura dos E.U, instruiu os suinocultores a engordar seus animais com gordura de COCO! Paradoxalmente, o que ocorreu seis meses após? Os porcos estavam mais magros

Então o mesmo Departamento sugeriu que os porcos fossem alimentados adicionando-se óleo de soja, este mesmo encontrado atualmente nos prateleiras do seu mercado.

Por incrível que pareça, nova surpresa: os porcos engordaram tanto que morreram de Infarto do Miocárdio.

Estes e outros fatos ligados à história do consumo de gorduras foram estranhamente ”omitidos” pela mídia em geral e, possivelmente por pressão dos produtores de óleos vegetais.

Ao mesmo tempo por volta de 1950, uma verdadeira “pá de cal” foi colocada na sepultura destas gorduras, quando se identificou a presença de colesterolnas placas que obstruem as artérias, processo este chamado de ATEROSCLEROSE.

Daí em diante, não somente alimentos que continham colesterol como o OVO, gordura de porco e por que não dizer, todas as gorduras  de origem animal e as “saturadas” foram condenadas. E, dentre as gorduras vegetais que foram banidas podemos incluir: óleo de palma, babaçu, dendê e gordura de coco, todas consideradas saturadas.

Para se ter a noção do impacto comercial que isso provocou em todo o mundo, simplesmente estas gorduras quase que desapareceram do mercado e, explodiu o consumo de óleos vegetais refinados.  

A verdade assim como o óleo sempre vem à tona!

Há menos de 10 anos, constatou-se que 75% das gorduras que obstruem as artérias, são provenientes de gordura vegetal poliinsaturada e, não das gorduras animais e as saturadas! Se você não sabia os óleos poliinsaturados (arroz,canola, girassol, milho,soja)  são estes  encontrados na prateleira de seu supermercado, um dos grandes responsáveis, não somente pelas doenças cardiovasculares, mas também, por inúmeras outras doenças!

Algumas dúvidas em relação as gorduras.

Questão – Qual a diferença entre ÓLEO e GORDURA?

R – Denomina-se ÓLEO: os ácidos graxos que se encontram sob a forma liquida na temperatura ambiente. Já GORDURA, é quando os ácidos graxos na temperatura ambiente até 25 graus centígrados se apresentam sob a forma sólida, acima disto se liquefazem. E isto ocorre exatamente com a GORDURA de coco que se mantém sólida até os 25 graus centígrados, acima desta temperatura, se liquefaz.

Questão - Mas, a gordura de coco e o azeite de oliva não são gorduras de origem vegetal? Por que o azeite é permitido e a gordura de coco não?

R – Até hoje a maioria dos médicos e nutricionistas ainda desconhecem as últimas pesquisas em relação às gorduras de modo geral, por isso indicam o consumo do azeite e, condenam a GORDURA de COCO, já que esta última é saturada e a primeira monoinsaturada.

Questão - O que são gorduras saturadas, monoinsaturadas e poliinsaturadas?

R – As gorduras são compostas por cadeia de átomos de carbono. Estes átomos se unem entre si através de “ligações” que podem ser simples ou duplase, isto vai determinar sua classificação. Em outras palavras, as gorduras saturadas, como o nome indica, já estão “saturadas”, não “aceitando” nenhum outro elemento para reagir. Isto as torna estáveis e, “não disponíveis” a outras reações químicas.